sexta-feira, 7 de dezembro de 2012



QUAL O PREÇO DE UMA AMIZADE?



Com certeza sua resposta será de que não existem cifras que determinem o valor de uma amizade. Claro! Uma vez que dizemos que o “apreço não tem preço”, como poderíamos conceber algo neste nível! Coloquei o título como forma de trazê-lo para ver o que vem a seguir. Nas próximas linhas é nosso propósito falar da amizade que aconteceu entre dois homens, um deles, quase um anônimo que a Bíblia o relata em poucos versículos.Sua história praticamente contada em apenas três versículos, nos mostra grandes passos de uma amizade alicerçada em apoio, solidariedade e amor.
A simples história de um homem que vivenciou situações que estariam longe de seu alcance mas para fazer valer esta amizade e acima de tudo confortar o amigo, não impôs limites aos seus objetivos. Foi também um animador, um homem cheio do Espírito Santo de Deus, um homem abençoado, um colaborador, mais que um amigo certo nas horas difíceis.
Os seus sublimes gestos fizeram com que seu nome fosse grafado para sempre na Bíblia, linhas que externam em sua composição o carinho  ofertado por um  dos maiores autores da Bíblia Sagrada, o Apóstolo Paulo. Poucas palavras que descrevem uma amizade sem igual, que agora, com a ajuda do bom Deus, veremos alguns fragmentos nesta reflexão. Seu nome: Onesíforo.
A princípio, quem foi Onesíforo? O significado do nome tem tudo a ver com seus passos e quer dizer: aquele que traz utilidade. Onesíforo fazia parte do rol de membros de uma das igrejas antigas ou Igreja Primitiva. É citado apenas duas vezes no Novo Testamento, e ambas encontram-se na Segunda Carta de Paulo para Timóteo.
Morador da cidade de Éfeso, Onesíforo tornou-se para o apóstolo Paulo mais que um irmão na fé ou um amigo, diria até que uma extensão do próprio apóstolo, tamanha sua consideração e fidelidade, alguém com quem sempre contou para auxiliá-lo nos mais variados trabalhos. Poucas palavras escritas, como dito, três versículos, entretanto, vão muito mais além das linhas que as delimitam, elas saem do papel para alcançar o espaço e se eternizam na linha do tempo tornando-se tão presentes como agora.  Vejamos:

“Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo, porque, muitas vezes, me deu ânimo e nunca se envergonhou das minhas algemas. Antes, tendo ele chegado a Roma me procurou solicitamente até me encontrar. O Senhor lhe conceda, naquele Dia, achar misericórdia da parte do Senhor. E, tu sabes, melhor do que eu, quantos serviços me prestou ele em Éfeso.”(2Tim 1:16-18).

Paulo inicia seu escrito para o amigo na Carta endereçada a Timóteo, inicialmente mencionando e pedindo a Deus misericórdia por sua casa. “Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo”na sequencia, traz o homem, Onesíforo, na forma de um grande apoio que recebia dizendo que o mesmo muitas vezes o alegrou. Fico imaginando de como era o agir deste homem, Cheio do Espírito Santo de Deus, uma pessoa alegre, amiga, enfim, fico a querer alcançar o que Paulo quis dizer com esta frase! Pela profundidade das expressões, ele muitas vezes demoveu Paulo das tristezas e preocupações que o cercava, tanto pelo lado das igrejas, como as perseguições que recebia.
Onesíforo atuava como um animador, aquele que sempre tem uma palavra de apoio e talvez, até mesmo sem falar, transmitisse traquilidade. Um porto seguro para os que o rodeavam, um homem desprovido de palavras de lamentação ou discursos de derrota.
Exemplo de Onesíforo se sobressai ainda mais quando percebemos que, hoje, as amizades são avaliadas dentro das conveniências. Relacionamentos frágeis que estão estabelecidos no jogo de interesses egoístas.
Pense nisso:  Se algum amigo seu fosse fazer uma citação sobre sua vida, qual das qualidades ou defeitos ocupariam seu relato?

Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus. Mat 5:16


CONTINUA NOS PRÓXIMOS DIAS


Ir. Cavalcanti - IBR Valentina

Nenhum comentário:

Postar um comentário