sexta-feira, 17 de agosto de 2012





“Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia... Ide pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos. E eis que Ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis.... Eis que eu vo-lo tenho dito. E, quando iam, eis que alguns da guarda, chegando à cidade, anunciaram aos príncipes dos sacerdotes todas as coisas que haviam acontecido. E, congregados eles com os anciãos, e tomando conselho entre si, deram muito dinheiro aos soldados, Dizendo: Dizei: Vieram de noite os seus discípulos e, dormindo nós, o furtaram... E eles, recebendo o dinheiro, fizeram como estavam instruídos. E foi divulgado este dito entre os judeus, até ao dia de hoje.”
(Mateus 28:6-15) 


O texto acima versa sobre a ressurreição de Jesus Cristo, sobre o que foi feito pelas autoridades da localidade para encobrirem que Ele havia subido aos céus. Perdidos, sem explicações e temendo represálias, as lideranças ao ouvirem os relatos dos guardas trataram logo de suborná-los com grande soma em dinheiro, e para abafar mais o fato, arquitetaram uma mentira dizendo que o corpo fora roubado por seus discípulos. O principal e mais importante feito do Senhor e sobre tudo o que pregou foi de que ressuscitaria dos mortos ao terceiro dia e subiria aos Céus. No entanto, podemos observar  o interesse em negar e esconder que Cristo ressuscitara.


Passados mais de dois mil anos, o fato da ressurreição do Nosso Jesus Cristo, ainda é negado, escondido ou não divulgado. Não pelos “inimigos” do evangelho, não por autoridades governamentais, mas por aqueles que se proclama e dizem pregadores da Palavra de Deus. É impressionante ver e ouvir grandes denominações falarem tanto sobre Jesus, sobre seu Pai, trazer e mostrar “curas e milagres”, façanhas ditas como “sobrenaturais”, mas, em nenhum ou em qualquer momento falam da ascensão de Cristo aos céus. É incrível como o chamamento e os apelos são veementemente difundidos, gritados, jogados ao publico e o mais importante e principal, o maior milagre que o Filho de Deus fez, pouco se diz ou se fala: O resgate da alma do homem e a vida eterna com Deus. Até parece pelo que se diz, é de que viveremos neste mundo terreno para sempre. Que aqui continuaremos, prosperaremos e não iremos ter um encontro com Deus.


 É impressionante! Do mesmo modo que os guardas foram subornados para não divulgarem que Cristo havia ressuscitado, nos mesmos moldes essas grandes denominações “evangélicas” não falam da ressurreição de Jesus. Os clamores que jogam no ar limitam-se a prosperidade e arrecadação de dinheiro. Apenas isto. Dinheiro, arrecadar cada vez mais para difundir seus conceitos baseados em ações que limitam-se a este universo. A pedra foi removida e roubaram o corpo, disseram para os guardas responsáveis pelo sepulcro. A pedra Angular, Cristo Jesus, também tem sido removida de muitas igrejas. Ele, o Filho de Deus, apenas é mencionado no início de algum “milagre”, ou nos jargões que soltam ao final ou esporadicamente nas concentrações e reuniões. Cristo e a ressurreição foram literalmente removidos. Infelizmente.


Nosso país, na boca de alguns dissidentes destas igrejas e outros mais espalhados por ai a fora, gabam-se de ver nas estatísticas que o Brasil está tomado por evangélicos, o número é cada vez maior e cresce a cada dia. A “gospelização” do louvor tornou-se algo irritante com o aparecimento de aproveitadores que se intitulam de cantores para tirarem proveito do momento. Muitos se dizem ou denominam-se evangélicos, mas sequer sabem ou têm ideia do significado da palavra e o alcance da expressão: Evangélico, evidentemente, vem de evangelho que significa as boas novas, e boas novas foi o que Cristo pregou, sua vinda, seu ensinamento e a vida eterna através dele, principalmente:

Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (João 14:6).


É impressionante, repito, o paralelo existente entre o episódio dos guardas e o que vemos ser divulgado hoje sobre Jesus. Diria que é até pior, pois os guardas receberam dinheiro, vultosa quantia para mentir, esconder  que Ele havia ressuscitado. Esses pregadores e suas igrejas têm falado de Cristo e escondido sua ressurreição e seu principal motivo de ter descido a terra e habitado entre os homens. Os guardas receberam dinheiro para negar, os “pregadores da prosperidade” pedem, pedem dinheiro e ocultam a vida eterna que temos através do Filho de Deus.


Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; 
Apocalipse 3:17



Ir. Cavalcanti – IBR Valentina

Nenhum comentário:

Postar um comentário