segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

ADVERSIDADES



O que fazer diante delas? Como agir, o que buscar? Não deixe de ler a reflexão abaixo. Deus o abençoe com esta leitura. Feliz 2011.

“Porventura o SENHOR olhará para a minha miséria; e o SENHOR me pagará com bem a sua maldição deste dia”. (2Sam 16:12).

Palavras proferidas pelo Rei Davi, quando na ocasião deixava a cidade de Jerusalém, ameaçado de morte por seu filho, Absalão, que procurava de alguma forma exterminá-lo após usurpar seu trono e ficar a frente do governo de Israel. Na retirada, Davi em companhia de seus guerreiros deparou-se com um homem que passou a amaldiçoá-lo, depois atirou-lhe pedras e cusparadas. Detentor de muita força, literalmente um homem de guerra, o rei deposto nada falou. No entanto, quando um de seus companheiros se ofereceu para dar fim à vida do homem que o insultava, Davi lembrou-se do Grande Deus de sua vida e com muita calma, categoricamente disse:

Disse mais Davi a Abisai, e a todos os seus servos: Eis que meu filho, que saiu das minhas entranhas, procura a minha morte; quanto mais ainda este benjamita? Deixai-o, que amaldiçoe; porque o SENHOR lho disse. Porventura o SENHOR olhará para a minha miséria; e o SENHOR me pagará com bem a sua maldição deste dia”. (2Sam 16:11,12).

O que menos Davi queria seria passar por uma situação humilhante como esta e por  outras que se desencandearam. Sair do conforto de seu lar para andar por montanhas, vales, escondendo-se em cavernas, dormindo ao relento,  e mais, fugindo do filho. Se pensar pelo lado do embate, talvez Davi lograsse êxito, quem sabe, mas, querendo evitar um mal maior, colocou suas esperanças em Deus.  O Senhor por sua vez,  dentro deste panorama lhe reservaria outras surpresas, dentre elas, conhecer mais o Deus a quem servia e depois  a si mesmo. No exílio Davi desenvolveu virtudes, aprimorou conceitos e relevou princípios que ainda lhes eram obscuros. Enfim, aqueles dificeis dias foram como uma benção. No ostracismo, entre uma fuga e outra, ele escreveu os Salmos 3,4,27,41,55,61,62,63, um tesouro espiritual e literário e ainda aprendeu a:

1.   Humilhar-se.Disse eu: compadece-te de mim, SENHOR; sara a minha alma, porque pequei contra ti.” (Sl 41:4) confessando os seus pecados, Davi passou por um avivamento espiritual. É fundamental expormos nossa vida e abrirmos nosso coração para Deus, literalmente humilhar-se diante de um Deus tão grande e maravilhoso, pois nós, nada somos.
2.   Confiar no Senhor somente: “Só ele é a minha Rocha e a minha Salvação (Sl 62:1-2).
Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR”! Jeremias 17:5
3.   Não se irar inutilmente: Irai-vos e não pequeis; consultai no travesseiro o coração e sossegai”. (Salmo 4:4), o que Davi ainda não tinha aprendido em 2Sm 14:4. A resposta para as ofensas é não se deixar levar por elas e na calmaria do quarto, longe de tudo, a sós, meditar e avaliar as adversidades de cabeça fria, “consultar o coração no travesseiro” (Sl 4:4)
4.   Louvar a Deus no sofrimento:Bendito seja o SENHOR Deus de Israel de século em século. Amém e Amém.” (Sl 41:13), todos louvam a Deus na alegria e na fartura, mas quase nunca na penúria e no sofrimento. Lembre-se:
E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Romanos 8:28
5.   Amar a casa do Senhor:(Sl 27:4-6)
       “Uma coisa pedi ao SENHOR, e a buscarei: que possa morar na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR, e inquirir no seu templo. Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; por-me-ás sobre uma rocha. Também agora a minha cabeça será exaltada sobre os meus inimigos que estão em redor de mim; por isso oferecerei sacrifício de júbilo no seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao SENHOR”.
6.   Deixar a vingança com o Senhor. “A ti Senhor, pertence a graça: pois a cada um retribuis segundo as suas obras” (Sl 62:12). Não usar expressões tais: “eu farei”, “eu direi”, conjecturar com o futuro planejando resolver com as nossas forças é ditar palavras ao vento.


Edigley F. Cavalcanti
Visite nosso blog: www.vozesdeemaus.spaceblog.com.br
skype - cavalcanti07
fone - 83.8804-8889

Nenhum comentário:

Postar um comentário