domingo, 28 de novembro de 2010

E depois???



Logo após o encerramento da cerimônia de sua formatura, certo jovem depois de congratular-se com os formandos, saiu para encontrar seus familiares. Abraços aqui, felicitações ali, de um e de outro, até que ele avista seu querido avô aguardando-o para travar com ele um longo e demorado abraço. Após o carinhoso gesto os dois iniciaram um diálogo:

- E agora, meu filho. O que vais fazer? - Pergunta o ancião.
- Abrirei meu próprio negócio, vovô, e começarei a trabalhar.
Dizia o jovem esfuziante de alegria.
- E depois? Pergunta o avô, franzindo o cenho.
- Vou ganhar muito dinheiro e começar a curtir a vida.
Dizia o jovem com um sorriso largo no rosto.
- E depois? Continua o velho.
- Vou comprar uma bela casa.
- E depois?
- Ah, vovô! Construir minha família.
 O moço era uma alegria só! Não era pra menos.
- E depois?
- Me aposentar, claro.
- Desculpe a insistência filho, mas, e depois? Falava o velho olhando nos olhos do neto.

O jovem formando não soube responder a este última pergunta. Tomado de surpresa, calou-se! Seu semblante tornou-se sério, pensativo. Tentava mirar nos olhos do velho e responder, mas em seu cérebro só ecoava aquele último depois. 
                             
No evangelho de Lucas, no capítulo doze e verso vinte, vemos uma parábola contada por Jesus sobre um homem rico que tinha muitas terras. Ao final da colheita preocupou-se por não ter onde estocar seus frutos. Mas de imediato pensou consigo mesmo e disse: - “Destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi a minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te”. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?

O apóstolo Paulo, sentindo o final de sua jornada aqui na terra, escreve sua segunda carta para o jovem Timóteo, exortando-o a permanecer firme nos caminhos do Senhor. Bem próximo aos seus últimos suspiros diz:

“combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé”.
(2 Tim 4:7).

Você leu três histórias distintas. O primeiro parou no meio da dúvida e calou-se. O segundo, firmou-se no seu poderio de coisas terrenas e passageiras, mas também não sabia sobre seu destino. E por último, o terceiro, que transmite o sentido de uma vida fundamentada na fé, e a certeza da continuidade dela após a morte na eternidade.

E você?............. E depois?

E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. (João 17:3).


Cavalcanti – 30.10.10





Edigley F. Cavalcanticavalcanti_cvcjpa@hotmail.com
Visite nosso blog: www.vozesdeemaus.spaceblog.com.br
skype - cavalcanti07
fone - 83.8804-8889

Nenhum comentário:

Postar um comentário